Related Posts with Thumbnails
RSS

sábado, 4 de julho de 2009

Sem clima para o amor ou qualquer coisa...


Rachel Gibson - Sem Clima Para o Amor.

Título original: I'm In No Mood For Love
Editora: Geração Editorial
Ano: 2008
Páginas: 320


Em "Sem clima para o amor", a personagem principal é Clare Wingate, uma escritora bem sucedida, determinada, independente, mas que está sofrendo com a traição do noivo. Para apimentar a trama, um amor antigo, o casamento de uma melhor amiga e a visão de seu noivo em posição comprometedora com o técnico da máquina de lavar. Uma situação sem dúvida hilariante. No meio de tanta confusão sentimental, Clare decide que não mais se apaixonaria. Será? Não, foi apenas uma decisão, talvez a solução que encontrou para encobrir a deslealdade do noivo. A paixão reacendeu quando encontrou Sebastian Vaughan, o melhor amigo de infância, no casamento de uma colega.

Nesta narrativa, Rachel Gibson faz um convite para você se encantar com uma mulher de personalidade, auto-estima equilibrada e apaixonada pelos prazeres da vida. É preciso saber se Clare Wingate encontra o grande amor - aquele que faz o coração bater - ou decide deixar de amar, se é que é possível.

Comentários:

Eu classificaria esse livro como bom. Por quê? Bem... Sabe aquele livro que te deixa tão envolvida na história que começa a mentir para você? Tipo: Você não está com fome, é só o seu estômago cantando alto... Você não está com vontade de ir ao banheiro, sua bexiga pode esperar... Você não está com sono, só faltam 5 capítulos... Os olhos estão fechando, mas só faltam 3... Só mais 2... A última página... Só após o último ponto você pode parar, dormir tranqüila e com um doce sorriso de tarefa e desejo cumprido. Esse, pelo menos comigo, não foi assim. Eu fiquei querendo pular algumas linhas, me deu fome, sede, vontade de ir ao banheiro, preguiça, sono...

Achei Clare superficial, ingênua, rica e arrumadinha demais para o meu gosto... Ela buscava aprovações para todas as suas atitudes e escolhas. Discutia e defendia demais a sua profissão, como se precisasse afirmar a qualidade e utilidade sempre que questionada em sua opção por escrever livros para as mulheres.

A autora também usa muitas marcas e efeitos característicos da língua inglesa, o que precisa sempre ser explicado pela nota de tradução. Mas aqui também explicaram demais, coisas desnecessárias... como se os leitores não fossem inteligentes o suficiente para saberem que RC Cola é uma das marcas de refrigerantes que imita a Coca Cola... Pelo-amor-de-(não usar o santo nome do Senhor em vão!).

Quanto a Sebastian, gostei. A autora consegue criar uma personagem masculina com profundidade. Ele é apontado como um típico filho de pais separados que viveu sua infância entre as visitas ao seu pai e as mudanças de sua mãe em busca de recomeços. Em algum momento desse caminhar, sua relação com o pai tornou-se distante... Aqui há, portanto, uma tentativa de reaproximação das duas partes, entremeada de silêncios e pequenos gestos de carinho. Além disso, ele é charmoso, sarcástico (na medida certa) e inteligente.

Destaques... uns românticos. Outros, nem tanto:

1.
“- Não precisa ter vergonha de amar sua mãe - ouviu a voz do pai pairando sobre a explosão em sua cabeça. – Na verdade, isso é sinal de que você é um bom filho - sentiu a mão do pai sobre a cabeça, pesada, familiar, consoladora. - Sua mãe e eu não demos certo, mas sei que ela amava você com todas as forças. Quando se tratava de você, ela parecia um pit bull. E ela nunca iria admitir que o filho dela fizesse qualquer coisa errada.
Era verdade.
- Ela fez um ótimo trabalho criando você quase sozinha, e eu sempre lhe fui grato por isso. Deus sabe que eu não estive por perto tanto quanto deveria.
Sebastian apertou as palmas contra os olhos. Então, largou as mãos entre os joelhos. Fitou o pai em pé perto dele. Respirou fundo e o aperto entre seus olhos atenuou.
- Ela não facilitou muito as coisas.
- Não fique me arrumando justificativas. Eu poderia ter me empenhado mais. Poderia ter voltado ao tribunal. – A mão de Leo foi ao ombro de Sebastian, apertando-o de leve -, poderia ter feito uma porção de coisas, mas eu ... eu achei que lutar não seria bom e que haveria mais tempo quando você ficasse mais velho. Eu estava errado e me arrependo disso. - Todos nós temos alguma coisa de que nos arrependemos - Sebastian tinha uma tonelada dessas coisas, mas o peso da mão de seu pai parecia um porto seguro em um mundo que de repente se tornava vertiginoso. - Talvez a gente não devesse lutar contra elas. Talvez devesse só seguir em frente.”

Achei esse trecho um dos melhores do livro. Para quem passou por essa situação (separação dos pais – como eu, por exemplo.), sabe que é bastante difícil que um dos dois defenda o outro ou assuma sua parcela de culpa.

2.
“- A senhora é uma fanfarrona!”

Pronto! Essa parte não prestou... comecei a rir... lembrando do capitão Nascimento (interpretado pelo brilhante Wagner Moura) em Tropa de Elite e das imitações de Tom Cavalcante com o seu Bofe de Elite.

3.
“Acima de tudo, era uma viciada em amor. Amava o amor, e embora isso ajudasse sua carreira, não fazia tão bem para sua vida pessoal.”

Ela inventou essa explicação querendo justificar suas atitudes... Sinceramente, uma coisa é você amar o amor, outra coisa é você gostar mais do amor dos outros do que o seu por você e, pior que isso, aceitar atitudes erradas e que te magoam simplesmente para que a outra pessoa retribua com restos de sentimentos e mentiras...

4.
“- Desde a noite em que eu a vi ficar só de tanguinha, venho pensando em fazer amor com você de uma porção de jeitos diferentes. Hoje à noite, quando fui à sua sessão de autógrafos, disse a mim mesmo que tinha ido lá só para comprar seu livro para Leo. Trinta por certo disso é verdade. Os outros setenta por cento são mentira. Vindo para cá eu pensei em todas as tentativas de fazer você tirar a roupa, mas, assim que você abriu a porta, eu notei que não quero tentar fazer você tirar nada. Não somos mais crianças brincando. Quero sua participação plena enquanto eu lhe tiro a roupa.”

Ui! Ele é O cara, né?! Para quem gosta de romance hot, esse livro é uma boa pedida!

Esse romance faz parte da série Sex, Lies, and Online Dating. São as histórias das quatro amigas escritoras.

Segundo Tonks, blog
Romances in Pink, a série é composta por:

1. Sex, Lies, and Online Dating (2006) - tenho a impressão que foi lançado aqui como Sexo, Mentiras e Encontros Virtuais, mas não achei nenhuma informação na internet e fiquei na dúvida se realmente foi lançado no Brasil - livro da Lucy - escritora de mistérios;

2. I'm In No Mood For Love (2006) - Sem Clima para o Amor - livro da Clare - escritora de romances históricos picantes;

3. Tangled Up In You (2007) - Sempre ao seu Lado - livro da Maddie - escritora de thrillers policiais não-ficcionais.
4. Not Another Bad Date (2008) - ainda não lançado no Brasil - livro da Adele - escritora de livros de fantasia, viagem no tempo.

É isso... Gostou? Encontre aqui!
(Afinal, essa foi a minha opinião... A sua pode ser completamente diferente!)

Até a próxima... com mais Livros com coração... ;)

6 corações despertados:

Fernanda disse...

Gostei do comentário.. ainda não li o livro e não me empolguei muito com a idéia, mas só tinha lido coisas mais positivas sobre ele, é bom ver o outro lado da moeda.

ÓTIMA a sua descrição de um bom livro, a mais pura verdade, rs.. :)

E se eu leio uma frase como 'A senhora é uma fanfarrona', eu também iria rolar de rir!

~> Esse caso me fez lembrar de uma frase que li recentemente no livro 'Amor e Tempestade'; não é bem a mesma situação - pois a tal frase engraçada com certeza não foi intencional - mas não muda o fato de que tive uma crise de riso estúpida num momento totalmente inoportuno! O negócio foi o seguinte: 'Amor e Tempestade' se trata de um livro de época, e o pai do protagonista se chama Marciano. Pois bem, no meio de um momento super conturbado da narrativa, um momento decisivo e forte, me deparo com a seguinte frase na página 72: 'Eleonora lhe dava motivo suficiente para encarar um exército de Marcianos'. Puuutz, aí não deu mais, comecei a imaginar naves espaciais e homenzinhos verdes com antenas... sem noção, eu sei, mas só de lembrar começo a rir.. fala sériooo!

Ai, ai. :D

Beijo..! :*

Débora Lauton disse...

Querida... continuando a saga dos selinhos... tem outro pra ti no blog...

beijos,
Dé...

La Sorcière disse...

Gostei da maneira que ele tentou convence-la a tirar a roupa....realmente ele parecer ser O cara!!!!
Post super legal!!!
Bjs!

Natália Alexandre disse...

Oi...tem selinho p vc lá no blog e tb tem uma promoção, participa.

bjs

http://meninasdabahia.blogspot.com/

Brecho Juci disse...

Olá flor,

Estou passando aqui para avisa que está rolando um sorteio no brechó Juci!

Passa lá para participar.

http://brechojuci.blogspot.com

Beijos
Juci

Leninha - meus passatempos disse...

menina, to aqui rindo da sua resenha, quase não cheguei ao fim e fui correndo terminar de ler, já que estou no comecinho desse livro, quando fui lendo fui rindo, e perdendo a vontade, medo de me dar fome, vontade de ir ao banheiro, kkkkk
adorei seu comentário!
beijo, leninha!