Related Posts with Thumbnails
RSS

domingo, 17 de janeiro de 2010

Era uma vez... Beastly.


Alex Flinn - Beastly.

Título traduzido: Brutalmente (ainda não publicado no Brasil).
Par romântico: Kyle/Adrian e Linda.

Kyle tem tudo, mas ainda assim, não se sente bem ao menos que deprecie e humilhe todos aqueles que não cumprem com seus estandartes de perfeição. Até que um dia se mete com a pessoa errada, uma estranha garota de sua aula de inglês, que tem o cabelo verde e sua aparência não é precisamente agradável.
Como uma brincadeira, ele a deixa plantada no baile. Então descobre que a estranha, entretanto, não é nada mais nada menos que uma bruxa que o castiga com uma maldição!
Existe uma possibilidade, ele tem dois anos para encontrar alguém que o ame realmente, apesar de sua aparência monstruosa; mas o que é realmente difícil é que ele também deve amar essa pessoa ou será uma besta para sempre.

Comentários:

Quem não pedia aos pais, quando criança, para contar as histórias de fadas? Quem não se encantou com a Cinderela, Bela Adormecida, Rapunzel, Ariel, entre outras? Quem não desejou (e ainda deseja) achar seu príncipe encantado? Quantas vezes não beijamos os “sapos” e as “feras” achando que poderíamos ser felizes para sempre?

Dos contos de fadas, confesso que tinha uma preferência pelas histórias de amor de “A Bela e A Fera” e “A Pequena Sereia”. Na sabedoria da infância, achava que as histórias nas quais os príncipes apareciam no final, salvando as donzelas de seus infortúnios e apaixonando-se pela beleza eram vazias, irreais demais...
A Pequena Sereia, na versão original ou a mais próxima da original, pode não agradar pelo final trágico, mas está próxima dos amores reais, esses que, muitas vezes, habitam um só coração.
A Bela e A Fera encanta pela mensagem, afinal acredito que os valores, o caráter, deve ser o fator determinante para escolhermos as pessoas que devem estar ao nosso lado. A aparência é tão irrelevante... e fugaz.

Então, nada melhor que ter encontrado um livro com uma versão moderna de A Bela e A Fera... e ainda sendo narrado pela Fera. Foi o reencontro com a criança que ainda vive dentro de mim...

Vamos aos detalhes do livro:

Kyle é um rapaz rico e extremamente belo. Tem uma relação conturbada com seu pai, um famoso apresentador de um jornal na TV. Na escola, ele humilha as pessoas que considera inferiores ou feias. Durante uma aula de inglês, Kyle conhece Kendra, uma jovem totalmente fora dos padrões. Ele decide aproveitar-se de sua ingenuidade e a convida para ser seu par no baile só para deixá-la plantada. Mas ele nem podia imaginar que ela fosse uma bruxa e que lançaria um feitiço para transformá-lo numa besta.
Seu pai, antes orgulhoso do filho somente pela beleza, visita todos os renomados cirurgiões para tentar fazê-lo belo novamente e, sabendo que isso é impossível, o abandona em uma casa isolada com a empregada e um professor particular cego.
Durante esse tempo, Kyle vai percebendo que aparência não é tudo. A lição é dura, mas ainda há esperança, afinal ele tem dois anos para encontrar alguém para amar e que o ame mesmo sendo uma fera, não é?
Aí temos Linda, a jovem a quem ele deu a rosa no dia do baile, gesto esse que o “redimiu” perante à fúria da bruxa. Ela é uma garota inteligente, apaixonada pelos livros e tem um pai viciado que nem pensa ao oferecê-la como compensação à sua tentativa de roubo na casa de Kyle.
Essa jovem poderá ser sua última chance para quebrar o feitiço... mas será ela capaz de amar quem a tomou de seu pai? É possível amar uma fera?

Esclarecendo alguns pontos:

* As ações e pensamentos de Kyle no início da história são revoltantes. Mas depois que conhecemos a vida dele, dá para desculpá-lo pelas maldades e torcer, afinal o cotidiano familiar e os valores do pai são totalmente equivocados;

* Adorei o chat que antecede os capítulos. Lá conhecemos o Garoto Urso, a Dama Silenciosa (fazendo referência à história da Pequena Sereia), a Ranzinha e o Senhor Anderson;

* Brevemente veremos nos cinemas um filme com o mesmo título desse livro. Ele será protagonizado por Alex Pettifer (o loirinho/par romântico de Hannah Montana - O Filme) e Vanessa Hudgens (Protagonista de High School Music). Além do título, qualquer semelhança com o livro será mera coincidência... (digo isso, pois já dei uma olhada nos vídeos do youtube e há várias diferenças... não sei qual é a dificuldade em ser fiel, ou o mais próximo possível, à obra? Vide Orgulho e Preconceito (2005)!)

Destaques românticos, ou nem tanto...

1. "Essa era outra coisa que meu pai sempre dizia: Não seja bobo, Kyle, não faça as coisas por amizade ou amor. Porque no fim o único que realmente ama você é você mesmo.
Tinha sete ou oito anos quando ele me disse isso pela primeira vez, e tinha perguntado:
- E para você, papai?
- O que?
- Você ama...? Você me ama? Nos ama. Sua família.
Ele me lançou um longo olhar antes de dizer.
- Isso é diferente, Kyle.
Nunca voltei a perguntá-lo se me amava. Sabia que tinha dito a verdade da primeira vez.
"

2.
"- Então será melhor que nunca seja feio, Kyle. Você é feio agora, por dentro, onde realmente importa, e se algum dia você perder seu atrativo, aposto que não estará suficientemente pronto e forte para recuperá-lo. Kyle Kingsbury, você é uma besta."

3. "Eu devia ser mais amável. Eu não sabia porque às vezes eu era mesquinho e cruel. Algumas vezes eu dizia para mim mesmo que seria mais amável com as pessoas. Mas sempre, uma hora ou outra, eu esquecia, porque eu me sinto bem estando acima dos outros. Talvez um psicólogo, um desses caras da televisão, diria que fazia para me sentir importante, porque meus pais não prestavam atenção em mim ou algo assim. Mas não era isso, na verdade não era. Era simplesmente como se às vezes eu não pudesse evitar."

4. "Então entendi. Fiquei congelado. Papai não tinha nenhum quarto porque não vivia aqui. Ele não se mudou para o Brooklyn, só eu. E Magda, minha nova guardiã. Minha tutora. Só nós dois, sempre, enquanto papai vivia uma existência feliz livre-de-Kyle. Olhei para o inexistente espelho, as inexistentes janelas, as intermináveis paredes todas pintadas de cores alegres – as da sala eram vermelhas; as do meu andar eram verde-esmeralda. Será que podiam me tragar até que eu fosse só uma lembrança de alguém desaparecido?"

5. "Os que não sabem como ver as coisas preciosas da vida nunca serão felizes."

6.
"Eu nunca encontrei ninguém que não podia ser comprado. Isso me faz meio que gostar dela."

7.
"Amigo. Ela disse amigo, o que era melhor que as palavras que ela tinha usado antes. Seqüestrador, carcereiro. Mas isso não era bom o suficiente. Eu queria mais, e não apenas pelo feitiço. Eu queria tudo dela. Chateava-me saber que a única razão que a gente não estava se beijando, a única razão que ela não me queria era porque eu era do jeito que eu era? Pode apostar. Mas talvez se eu trabalhar mais duro, ela iria olhar passando por isso, ver o meu eu verdadeiro. Exceto que nem eu mesmo sabia quem era o "meu eu verdadeiro" mais. Eu fui transformado - não apenas meu corpo, mas tudo de mim."

8. "É estranho, porém," ela disse. "Pessoas fazem um negócio tão grande sobre a aparência, mas depois de um tempo, quando você conhece alguém, nem percebe mais, sabe? É apenas o jeito que eles parecem. "

9.
"Sem ela, eu não tenho esperança, não tenho vida. Eu vou viver em miséria e morrer sozinho."

Gostou? Baixe aqui!

Até o próximo livro com coração...

9 corações despertados:

Bia disse...

Nossa, não sabia da existência desse livro, mas deve ser lindo demais!
Eu também AMO A bela e a fera e também é uma das minhas histórias favoritas!!!

Bjs

Luka disse...

Camilla,

Adorei sua resenha. Ficou perfeita. Nos deixa com gostinho de quero mais.
Beijos de fada.
Luka.

Náh disse...

Olá!
Nossa! Esse livro deve ser maravilhoso! Eu quero!!!! rsrsrsrsrsr
Beijos,
Náh

p.s.: Acabei de atualizar o blog... Passa lá!

Náh disse...

Olá, Camilla!
Vim agradecer pela visitinha e pela dica... Muito obrigada mesmo, tá? Estou começando na blogosfera e qualquer dica é bem vinda... rsrsrsrsrs
Também ouvi muito bem sobre os De Burgh, e estou ainda mais curiosa... Comprei o livrinho do desafio num sebo... Nunca havia lido nada dos De Burgh... Vou baixar alguns para ler...
Enfim... Você sempre será bem vinda no meu cantinho, viu?
Beijos,
Náh

Fernanda disse...

Eu não li os destaques românticos para não estragar alguma surpresa, rs... mas amei sua resenha, realmente A Bela e a Fera é um dos meus contos de fadas preferidos. Mal posso esperar para que este livro seja traduzido...

Beijos! :)

Natália Alexandre disse...

Eu vi a resenha desse livro no blog da Dé. O que eu fiquei meio assim é "livro de adolescente", é que não sou muito fã.

Mas adoro o tema de conto de fada. A bela e a fera foi o 1º filme q vi no cinema.

bjs

Fernanda disse...

Ah, eu não tinha reparado no link..!

Fico BEEEEEEM tentada a baixar e começar a ler, mas a verdade é que não me dou muito bem com e-books, não consigo ler muito tempo diante do monitor.. :/

Se não o livro não fosse ser traduzido, eu me aventuraria no e-book, mas já que vai ser publicado... acho que vou esperar, rs.. :)

Bjooo! :)

Débora Lauton disse...

Que coincidência, né??
Adorei sua resenha... e os pontos que você destacou foram muito bem escolhidos...
O engraçado é que as opiniões bateram...kkk

beijos,
Dé...

Srta. Camilla disse...

Olá, meninas!

Agradeço as visitas e os comentários...

* Bia;

É uma das minhas histórias favoritas também. A mensagem desse conto deveria circular mais por aí... Tanta gente acha que beleza é tudo...

* Luka;

Obrigada! *rosto vermelho*

* Nah;

Leia mesmo e depois diz o que vc achou... sou suspeita pra falar! rsrsrs

* Fê;

Quisera ter a sua paciência... eu tenho é um bumbum dolorido! rsrsrs

* Natália;

Olha, pode até ser romance entre adolescentes, mas nada que atrapalhe a história ou a empobreça. A roupagem é moderna, mas as discussões totalmente relevantes. Um dos melhores que li recentemente. Dê uma chance, se possível.

* Dê;

Foi óóótimo nossas opiniões terem batido. Só comprova que o livro é interessante e merece ser publicado por aqui o qnto antes... Que pena que fizeram "mó lambança" na hora de adaptá-lo...

Bjos a todas!!!