Related Posts with Thumbnails
RSS

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Desafio Literário 2010 - Livro reserva de Abril.


Antonio Skármeta - O Carteiro e o Poeta.

Título original: Ardiente Paciência
Editora: Record
Páginas: 128

Sucesso também no cinema, esta novela tem como cenário o refúgio de Pablo Neruda em Ilha Negra, no Chile. Narra a amizade do carteiro Mario Jiménez com o poeta, e como nasce a admiraçao pelas poesias e a cumplicidade entre os dois, até a morte de Neruda.

Comentários:

Quando escolhi os livros desse mês não notei que eles tinham algo em comum, tanto pela história ocorrer no mesmo país, Chile, quanto - mais ou menos - no mesmo período, a morte de Allende e o golpe de Pinochet.

Coincidência ou sorte? Só sei que isso foi ótimo!!! ;)

"(...) Mas também queria pedir uma coisa, Mário, que só você pode cumprir. Todos os meus outros amigos ou não saberiam o que fazer ou pensariam que sou um velho caduco e ridículo. Quero que você vá com este gravador passeando pela Isla Negra e grave todos os sons e ruídos que vá encontrando. Preciso desesperadamente de algo, nem que seja o fantasma da minha casa. A minha saúde não anda nada bem. Sinto falta do mar. Sinto falta do mar. Sinto falta dos pássaros. Mande para mim os sons da minha casa. Entre no jardim e faça soar os sinos. Primeiro grave esse repicar suave dos sininhos pequenos quando o vento bate neles, e depois puxe o cordão do sino maior cinco, seis vezes. Sinos, meus sinos! Não há nada que soe tão bem como a palavra sino se a penduramos num campanário junto ao mar. E depois vá até as pedras e grave a arrebentação das ondas. E se ouvir gaivotas, grave. E se ouvir o silêncio das estrelas siderais, grave."

Vamos aos detalhes da história:

Mário Jimenez é o único morador letrado da Ilha Negra. Não querendo seguir a profissão do pai, ser pescador, decide assumir a vaga de carteiro da cidade.
É assim que ele conhece Pablo Neruda, o único a receber encomendas regulares. Por insistência de Mário, que admira as letras e, principalmente, a forma com que o poeta as utiliza, nasce uma bela e profunda amizade entre os dois. Com a ajuda de Neruda, ele consegue conquistar sua grande paixão, Beatriz.

Esclarecendo alguns pontos:

* Skármeta conseguiu escrever um livro ao mesmo tempo romântico e realista, usando três temáticas principais: o amor pelas letras, a amizade entre dois pessoas tão diferentes, mas que compartilham melancolia/poesia e a paixão carnal. Pode esperar momentos ternos, poéticos e sensuais, viu?!

* O autor consegue (re)criar um Pablo Neruda com muita verossimilhança. Ele, com certeza, deveria admirar e conhecer profundamente a vida e obra desse poeta. Um dos momentos mais belos do livro é quando essa personagem ensina sobre metáforas ao amigo, usando coisas consideradas simples e cotidianas;

* Mário Jimenez é outra personagem muito bem montada pelo autor. Um jovem pobre, de família analfabeta, mas que busca melhorias para a sua vida e encanta-se pela beleza das palavras, usando-as para idolatrar e cortejar sua musa inspiradora, a filha da dona da taberna, Beatriz;

* O epílogo do livro é comovente, já que ressalta a força da população contra o autoritarismo e o abuso político, elegendo a figura de Neruda (poeta militante) um símbolo nacional.
“Neruda não é chileno, o Chile é que é Nerudiano”.

* A adaptação desse romance para o cinema também merece destaque. Apesar das mudanças no roteiro, o filme é muito bom. Recomendo!

~> Gostou? Baixe aqui!

Até o próximo desafio!
Beijos! ;*

8 corações despertados:

Ket, la Blair disse...

Mais uma resenha que me deixou com vontade de correr pra biblioteca '-'

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Sempre quis assistir este filme, agora terei que ler o livro tambem. Muito bo sua resenha. beijos

Diana Bitten disse...

Achei muito maçante essa estória pelo filme, o que me desanimou a ler o livro.

Apesar de eu saber que isso é puro preconceito e que posso me arrepender disso depois (o que provavelmente é o que vai acontecer).

beijokas e até mês que vem!

Cíntia Mara disse...

Assisti a adaptação há vários anos, mas nunca me interessei em ler. Quem sabe algum dia?

Beijos

Hérida Ruyz disse...

Oiê!
Eu quase não consegui ler meu livro oficil..imagine o reserva? kkk
Muitos livros p/ escolher.
Já havia ouvido falar do livro e do filme, mas nunca me interessei em assistir.
Quem sabe no futuro
Bjs

Ana Maria disse...

Amooooo esse livro e o autor. Você também irá adorar quando ler O Baile da Vitória. Já da adaptação para o cinema, não consegui gostar, ficou estranha.

Nossa! Vc também leu A Casa dos Espíritos, que ótima escolha!

Vou passar mais por aqui. =)

Vivi disse...

Eu tenho interesse em ler o livro. Mas fico confusa com as opiniões divergentes que o livro tem gerado. Excelente resenha, querida!

Bjs

Fernanda disse...

Bom que vc gostou, ao contrário de mim, rs... prova de que essas coisas são bem pessoais, mesmo. :)

Bjs, ótima resenha! :)