Related Posts with Thumbnails
RSS

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

As melhores declarações de amor (Cap. VII).

Algumas declarações de amor nos deixam sem fôlego... faz com que pensemos: “Será que, algum dia, ouviremos palavras parecidas?”


Pushing Daisies

Esse seriado conta a vida de Ned (Lee Pace), que descobre quando criança possuir o dom de ressuscitar os mortos. O problema é que se ele tocar a pessoa que reviveu, essa morre e não pode ser ressuscitada novamente. Caso a deixe viver por mais de 60 segundos, outra morre em seu lugar.
Quando, acidentalmente, o detetive particular Emerson Cod (Chi McBride) descobre seu dom, oferece sociedade. Os dois, então, passam a desvendar assassinatos e dividir recompensas. Em meio aos crimes, eles se deparam com um misterioso assassinato e Ned descobre que a vítima é o seu primeiro amor, Chuck (Anna Friel). Ao ressuscitá-la, revive o sentimento nunca esquecido. Assim, decide deixá-la viva, dando início a um platônico e impossível amor, pois, apesar de mantê-la ao seu lado, sabe que jamais poderá tocá-la ou ela morrerá para sempre.

Primeira temporada
Episódio 01
- "Pie-lette"

A cena que escolhi aparece no final do episódio. Eles estão sentados no banco que fica em frente à casa de tortas do Ned.

(Chuck)
– Isso foi mesmo um ato de bondade? Eu, aqui... Você estava realmente tentando fazer algo bom, sem nenhuma outra razão a não ser me ajudar?
(Ned) – Eu estava sendo egoísta. Eu adoraria dizer a mim mesmo que estava sendo altruísta. Mas sei, no fundo do coração, que estava sendo altruísta por razões egoístas. Eu só pensei que meu mundo seria um lugar melhor se você estivesse nele.

Curtinha, né?! Mas nem por isso menos bela... Esse seriado é super romântico (e olhe que só assisti aos dois primeiros episódios). Indico para quem aprecia um romance meio impossível. Vocês podem conferir o vídeo, pena que não é legendado...


video

sábado, 24 de outubro de 2009

Devaneio nº 1

Já disse que adoro criar séries???? Pronto! Inventei outra... Essa será totalmente alimentada pelos meus loucos devaneios. Coisas que penso sobre tudo, em poucas palavras... para não passar uma falsa imagem de pensadora/filósofa. Nada disso! Pode entendê-las como meras tentativas de falar besteiras sérias. Não esperem muito... :P



Devaneio nº 1

Do momento;

Era uma vez
Um cavalo sem príncipe
E uma princesa, agora blogueira.


~ * ~ * ~

Moral da história: Quando a pessoa não tem o que fazer, faz cada coisa... ¬¬

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Desafio Literário 2010 - Listinha pronta!


Desafio Literário 2010
By Romance Gracinha.

O que é isso?

Uma forma de juntar a fome com a vontade de comer...

Selecione várias meninas que são viciadas em leitura e acrescente um ano de livros, cada mês com uma temática diferente.
Cate seus melhores títulos e deixe descansando até formar uma lista convidativa e deliciosa.
Quando ouvir as 12 badaladas em 31 de dezembro de 2009, estará pronta.

A receita rende doze porções.

Servir a cada final de mês com muita cobertura.

Brinde
: Seguindo essa receita, você ainda pode conhecer e degustar os resultados das demais participantes.

Pode se empanturrar... Nada de dor de barriga, quilos extras ou qualquer outro sintoma negativo.
Causa vício, mas esse efeito colateral já é bem conhecido e presente em todas...

Quer saber mais sobre o desafio?


Quer conhecer a minha lista?

*
Lista editada: 27/11.
Itens alterados: livros do mês de junho.

Olha aí:


Janeiro
~> Romance de banca.

Livro escolhido: Jacquelyn Frank - Noah.
Na reserva: Nora Roberts - Enfeitiçado.


Fevereiro ~> Conto de fadas.

Livro escolhido: Marilyn Kaye - Penelope.
Na reserva: Gregory Maguire - Confissões de Uma Irmã de Cinderela.


Março ~> Clássico da literatura universal.

Livro escolhido: Emile Brontë - O Morro dos Ventos Uivantes.
Na reserva: Charlotte Brontë - Jane Eyre.


Abril
~> Livro de um autor latino-americano.

Livro escolhido: Isabel Allende - A Casa dos Espíritos.
Na reserva: Antonio Skarmeta - O Carteiro e o Poeta.


Maio ~> Chick-lit.

Livro escolhido: Marian Keyes - Melancia.
Na reserva: Maria Beaumont - Marsha Mellow e Eu.


Junho ~> Livro de uma escritora brasileira.

Livro escolhido: Leila Rego - Pobre Não Tem Sorte.
Na reserva: Clarice Lispector - A Paixão Segundo G. H.


Julho ~> Livro adaptado para o cinema.

Livro escolhido: Federico Moccia - Desculpa Se te Chamo de Amor.
Na reserva: Audrey Niffenegger - A Mulher do Viajante do Tempo.


Agosto ~> Livro policial.

Livro escolhido: J.D. Robb - Nudez Mortal.
Na reserva: Sandra Brown - Calafrio.


Setembro ~> Romance histórico.

Livro escolhido: Judith McNaught - Whitney, Meu Amor.
Na reserva: Hannah Howell - Destinos Ao Vento.


Outubro ~> Livro com lição de vida.

Livro escolhido: Mitch Albom - As Cinco Pessoas Que Você Encontra no Céu.
Na reserva: Rubem Alves - Se Eu Pudesse Viver Minha Vida Novamente...


Novembro ~> Livro de um autor português.

Livro escolhido: Inês Pedrosa - Fazes-me Falta.
Na reserva: Camilo Castelo Branco - Amor de Salvação.


Dezembro ~> Livro que tenha a palavra "coração" no título.

Livro escolhido: Nina Beaumont - Coração nas Sombras.
Na reserva: Sharon Schulze - Coração de Guerreiro.

~ * ~ * ~ * ~

Está esperando o que???? Vamo ou bora?!

Bjim! :)

domingo, 18 de outubro de 2009

Viver Por Teu Amor.


Bianca 230, Carole Mortimer - Viver Por Teu Amor.

Temática: Casamento por conveniência.
Par romântico: Mildred McKay e Alex Hammond.


De repente, não havia escolha para Mildred. Ela teve que jogar para o ar uma promissora carreira de atriz de novelas em Los Angeles, um namorado fiel, sua casa, os amigos, seu país... Tinha que abandonar tudo para cumprir o último desejo de sua irmã Glenna e por isso estava até disposta a fazer a maior loucura: casar-se com um homem que ela não amava! Arrogante, frio, impassível, o belo Alex Hammond viera de Londres para tentar tirar-lhe a guarda de seu sobrinho Courtney, a razão de viver que Glenna lhe deixara. Mas isso Mildred não permitiria, nem que tivesse que largar tudo para tornar-se mulher de Alex!

Comentários:

Adorei esse livro!!!
Mildred é uma atriz competente. Ela interpreta a vilã de uma novela de sucesso, papel esse totalmente diferente de como é. Mas nem imagina que sua vida mudará em tão pouco tempo...
Sua irmã, Glenna, morre após um acidente de avião juntamente com o marido. Mas, antes de morrer, dá a luz ao bebê e deixa a guarda do pequeno para Mildred e Alex Hammond, irmão do marido.
A família Hammond sempre foi contra o casamento da irmã, assim Mildred sabe que não deve deixar que eles a separem do seu lindo sobrinho. Nem que para isso tenha que largar a carreira e viver nos Estados Unidos.
Só não esperava que Alex fosse querer cuidar do bebê tanto quanto ela. E, ainda, que ele quisesse casar com ela para que pudessem criar Courtney juntos. E agora? Ela poderia casar com aquele homem frio, apesar de sentir alguma coisa por ele?

Esclarecendo alguns pontos:

* A mocinha é inteligente e sincera... o que gera boas gargalhadas. Principalmente se considerarmos o quanto Alex fica surpreso com isso.

* O mocinho é um tipo bem interessante, apesar de esconder seus sentimentos com seus gestos frios. Ele sempre a defende de sua mãe e irmã megeras. Muito fofo!!!

* A única coisa ruim em ler esse e-book é que há um trecho faltando...
É chato e revoltante quando compramos nossos amados livrinhos nos sebos e depois notamos que faltam páginas. Eu nunca venderia ou trocaria exemplares nesse estado. Eu tenho muito carinho, cuidado e ciúme dos meus livros. Quando as folhas estão soltas, não custa quase nada colá-las, não é?!

~> Quem tiver esse romance, por favor, poderia disponibilizar a página que falta???? Nós agradecemos! :)
Contato: camilla.let@hotmail.com

Destaques românticos:

1.
— Você é a única pessoa que discute comigo — explicou ele.
— Verdade? — espantou-se Mildred, retribuindo o sorriso.
— Verdade. É comum ninguém questionar minhas opiniões.
— Ah, não diga! Então devo lhe parecer um bocado irritante.
— Irritante? Não... Para ser franco, acho-a bastante estimulante.

2.
— E é mesmo. Agora chegamos à última alteração que pretendo fazer.
— Puxa! Ainda há mais?
— Sim. Eu... Esta parte pode ser um pouco embaraçosa...
— Compreendo — disse Alex, num tom severo, depois de estudá-la por alguns instantes. — Você prefere que não tenhamos relacionamento físico... Não acredito que um casamento funcione sem ele mas...
— Alex, você não entendeu nada. Pare de tirar conclusões apressadas!
— Desculpe!
— Parece que estou tentando brigar com você de novo, não é?
— Isso mesmo!
— Não é o que eu pretendia. Por favor, me escute. Quero você, Alex. Quero-o muito. Não pensei em nada senão em você enquanto estive fora. Gostaria de ser sua esposa, mas não uma amante em tempo parcial. Quero compartilhar do mesmo quarto, não precisar me esgueirar por um corredor ou através de uma porta de comunicação. — Ela deu um sorrisinho. — Se eu fizesse isso cada vez que quisesse passar a noite com você, o tapete entre os dois quartos iria ficar gasto em pouco tempo! — concluiu, com um sorriso brincalhão.
Alex pigarreou, obviamente surpreendido com o modo direto como Mildred falara.
— Eu... Você...
— Agora eu o embaracei — disse ela, divertida. — Foi sem querer, acredite.
(...) — Já que estamos falando com sinceridade, preciso lhe confessar que sinto idêntica atração por você. Tentei afastá-la do meu pensamento nesses últimos dias, mas não consegui. O que estou querendo dizer é que compartilho do seu desejo e que gostaria de proteger o tapete a qualquer custo.





P. S.: Estou querendo mudar a cara do blog... Apesar de adorar esse template, ele não é fácil de mexer e incrementar. Criei um blog para testes e gostaria de saber a opinião de vocês. Eu troco???? Veja aqui como ficaria! Já mudei! Valeu pela ajuda, meninas...

P.S. 2: O blog foi indicado para ganhar o selo Veja Blog... e adivinha? Foi selecionado! Agora sou phyna (escrito com ph e y, afinal é mais chique! :P kkkkkkk ).

Karina, obrigada pela lembrança e indicação! Adorei, viu?!

É isso, meninas! Bjo!


quarta-feira, 14 de outubro de 2009

1 ano de blog!!!

Amig@s leitor@s;

No dia 14 de outubro de 2008 criei esse blog (Veja a primeiríssima postagem
aqui!). Uma atitude totalmente despretensiosa... mais para fazer um registro das minhas leituras e desafogar a memória (desmemoriada) do meu computador, companheiro das horas outrora solitárias. Jamais imaginei que exatamente um ano depois teria uma resposta tão positiva, que houvesse outras pessoas interessadas nas minhas opiniões, com as quais posso trocar informações, dicas e incentivos. Então, só posso dizer que esse foi um ano de realizações e amizades. Espero continuar e comemorar com vocês muitos outros anos... Vocês merecem todos “os louros”, pois me incentivam a querer visitar essa blogosfera cada vez mais e melhor.
Para comemorar, decidi republicar (a principal parte, pelo menos...) o meu post preferido (Quer ler na íntegra? Clique aqui!). Assim, deixo vocês com um dos meus melhores livros com coração...

Como reconhecer um homem maravilhoso:

1. Quando ele se aproximar pela primeira vez e disser:

“Gostaria de dançar ou prefere dispensar as formalidades e fugir comigo?”

Claro que isso a deixará em dúvida... Ao menos que ele ofereça algumas sugestões e rotas de fuga interessantes.

2. Quando ele descobre que você não pode dançar e nem fugir e te mandar um lindo buquê de rosas brancas;

3. Quando ele arruma qualquer desculpa para te ligar e ainda diz ser uma celebridade, um grande amante, muito rico e dono da Ponte de Brooklyn;
Mesmo que nos outros telefonemas afirme ter mentido... na parte de ser muito rico e dono da Ponte de Brooklyn, é claro.

4. Quando ele diz algumas verdades nos momentos em que você estava equivocada e/ou o acusou injustamente;

“Como pôde pensar que eu... Ora, esqueça o assunto! - Virou-se abruptamente e estava a caminho de seu Porsche branco quando parou para gritar: - Moça, você sofre de um sério complexo!”

5. Quando ele acabou de dizer algumas verdades e continuar chateado, mas ainda assim querer sair com você;

“Esteja pronta às sete! - disse uma voz masculina com firmeza, e a ligação foi cortada em seguida.”

6. Quando ele resolve te acompanhar bebendo apenas água, mesmo tendo melhores opções de bebida;

“- Eu adoro Perrier.
- Quando foi a última vez que tomou uma?
- Vai jogar pesado, hein? Muito bem, deixe-me ver... Sabe, creio que esta é a primeira vez. Mas estou gostando. Juro que sim.”

7. Quando você não pode dançar porque sente dores, mas ele encontra uma forma de vocês dançarem juntos;

“Abraçar-se, minha querida - ele lhe sussurrou ao ouvido, provocando um arrepio -, é no que se resume a dança de todos os casais.”

8. Quando ele passa na suíte dele para pegar vários travesseiros para que você fique mais confortável em seu carro e ainda, para não te embaraçar, explique aos curiosos e observadores da cena;

“Vamos a uma orgia - explicou Patrick aos que o encaravam na saída do elevador. - É uma TSPT: Traga Seu Próprio Travesseiro.”

Isso provavelmente te deixará mais embaraçada do que se dissesse a verdade, mas também te fará sorrir da tentativa dele.

9. Quando você, pela insegurança, desviar-se do primeiro beijo e ele, com ternura, lhe acariciar o rosto;
(trecho adaptado do livro)

10. Quando você não pode viajar para esquiar e ele decide trazer o lugar da viagem para sua casa;

“Vamos para o Colorado. Ou, mais precisamente, vamos trazer o Colorado até nós.”

11. Quando ele resolve se afastar porque precisa entender seus sentimentos antes de magoá-la com uma relação unilateral;

“Patrick não pudera dar nenhuma explicação por um motivo apenas: estava igualmente confuso. Se bem que alguma coisa ele compreendia. Como o fato de sentir algo especial por aquela mulher. Entretanto, forçava-se a fazer o papel de advogado do diabo. Possuía o que lhe custaria para ligar a vida à dela? Honestamente, humanamente, desejava assumir os problemas dela? Se entrasse naquele relacionamento, teria de ser com os olhos bem abertos. Alexandra não merecia menos.”

12. Quando você, por ter alguma doença ou qualquer tipo de restrição física, achar que não pode atrair um homem tão interessante e ele a convencer com argumentos sólidos e inquestionáveis;

“ - ... talvez fosse mais adequado afirmar que nenhum homem me quer na sua (vida). Não sou estúpida, sei que não atraio ninguém!
Num momento raro em sua vida, Patrick ficou sem fala. Embora por não mais que um momento. Com ousadia, segurou a mão dela e a pressionou intimamente contra seu sexo. Sob as calças molhadas, estava a evidência de seu desejo. Alexandra fechou os olhos, a respiração suspensa.

- Encare-me - a voz dele revelava um misto de paixão e raiva -, e diga-me que não a quero.”

13. Quando você assume que ele te faz perder o controle e ele responde:

“Era essa a minha intenção, boba. É assim que você me faz sentir também. E gosto da sensação. O truque, Alexandra, minha querida, é encontrar a pessoa com quem seja seguro perder o controle.”

14. Quando sendo uma celebridade e um homem belo, ele precisa atender com paciência as fãs, mesmo aquelas mais saidinhas, e explica a situação para que você não sinta ciúmes;

“A questão, Alexandra - Patrick mal continha a satisfação diante da descoberta de que ela estava com ciúme -, é que não guardei nada daquele beijo. - Dizendo isso, encostou os lábios na orelha de Alexandra, arrepiando-a. - E sabe por quê? Porque não era um beijo seu - Patrick continuou, sem interromper as carícias. - Que são os únicos que me interessam guardar.”

15. Quando você fica doente e ele passa a noite ao seu lado confortando-a e, na manhã seguinte, se oferece para preparar seu café da manhã;

“ - O que você quer para o café? Que tal ovos mexidos? Ou prefere ovos mexidos?
- Pelo jeito essa é sua especialidade.
- Para falar a verdade, não sei cozinhar outra coisa.
- Neste caso prefiro... ovos mexidos!
- Excelente escolha!”

Mesmo que ele soubesse apenas ferver água e abrir latas, ainda seria, para você, uma refeição digna de um chef de cozinha famoso...

16. Quando você acaba de ver a ex dele e a acha perfeita, totalmente diferente comparada a sua imperfeição e ele te responde:

“Fique sabendo, minha doce menina, que ninguém é perfeito. Cada um de nós tem coisas que gostaria de ocultar. A perfeição, física ou espiritual, é um objetivo distante, inalcançável por qualquer ser humano.”

17. Quando vocês estão prestes a fazer amor pela primeira vez e ele se preocupa em te machucar, considerando suas restrições;

“ - Se eu fizer alguma coisa que a machuque - Patrick observou - me diga. Certo?
- Está bem...
- E se você fizer alguma coisa que me machuque - ele acrescentou, com ar maroto - eu lhe direi.
- O que eu poderia fazer para machucá-lo? - Alexandra sorria também.
Não me amar. O pensamento cruzou a mente dele como um raio.”

18. Quando você está prestes a desistir de lutar contra as adversidades, sejam essas quais forem, ele está lá para te fazer levantar e andar.

“Pelo que calculo - ele continuou -, há uns cinco passos entre nós. Dê esses cinco passos e juro por Deus que nunca mais caminhará sozinha. Acha que pode fazer isso?”

Hummmmmm! Depois disso tudo o que mais posso falar???? Perdi o fôlego!!!
E vocês???? Ficaram interessadas nesse homem? Podem conhecê-lo melhor aqui! Aproveitem, pois acho pouco provável encontrá-lo pelas ruas...

É isso! :)
Beijos!!!

domingo, 4 de outubro de 2009

Nada que um fantasma não resolva...

Colleen Collins - Com Toda a Alma.

Temática: Sobrenatural/Fantasmas/Dividindo o quarto de hotel.
Par romântico: Daphne Remington e Andy Branigan.

Com a aparição daquele homem, sua aventura se tornou muito mais interessante...

O destino de Daphne Remington parecia estar ligado à alta sociedade, mas antes de converter-se em uma dama com colar de pérolas tinha decidido procurar um pouco de diversão. Sua aventura esteve a ponto de arruinar-se quando ficou sem quarto de hotel... Mas então apareceu um tipo assustador que se ofereceu para compartilhar seu quarto.
O jornalista Andy Branigan tinha um incrível poder com as palavras... e uma suíte que desejava poder compartilhar com aquela sexy aventureira. E logo não pôde pensar em outra coisa além das razões para compartilhar com Daphne algo mais que o quarto…


Comentários:

Gostei muito desse livro porque:

a) A mocinha não é uma “boazinha sofredora”;
b) O mocinho não a engana, não a maltrata e não esconde seus sentimentos;
c) Não tem aquela parte clichê de “Quando você se apaixonou por mim?
d) Tem um grupo de fantasminhas diferentes e interessantes.

«Estar morta não é tão divertido como dizem. Por sorte morri com um cigarro nos lábios, uma taça de uísque na mão e meu revólver na outra. De outro modo, não teria oportunidade de me divertir».

Vemos, logo de cara, a figura mais interessante do livro, Belle Bulette. Ela é um fantasma que precisa fazer com que os humanos encontrem seu verdadeiro amor para poder seguir para o que chama de “Grande Picnic do Céu.”
A maior parte do romance ocorre no hotel Maiden Falls, antes um freqüentado bordel onde houve um vazamento de gás, o que matou todas as moças que lá trabalhavam e, por fingirem amor por vários homens em vida, elas devem juntar os casais que freqüentarem o hotel. Daí a presença de Belle (já que eles ficam hospedados na suíte que era dela).

Daphne ficou conhecida pelos jornais como a Rebelde Remington por ser diferente da família, sempre séria e certinha. Ela gosta de liberdade, de roupas coloridas e de seus cabelos cacheados soltos, mas teve que mudar para agradar a sua família e ao seu pretendente, um candidato a governador. Essa mudança a deixa totalmente estressada e, para passar um final de semana longe das pessoas que a conhecem e resgatar seu verdadeiro espírito, toma um ônibus para Maiden Falls, onde seus antepassados moraram enquanto pobres.
Andy é um repórter do jornal Denver Post (o que sempre publica sobre a Rebelde Remington) e está hospedado no hotel para escrever um artigo sobre lugares para lua de mel. Ao saber que Daphne quer alugar uma suíte nesse local e que o mesmo está lotado, ele aparece com uma proposta: dividir sua suíte com ela e, em troca, entrevistá-la.
O que os dois não sabiam é que, nesse quarto, há um fantasma que vai fazer o possível para que eles se apaixonem...

Esclarecendo alguns pontos:

* Gostei muito do casal, mas adorei a história de Belle/Bonnie. O jeito com que a autora intercala e entrelaça as duas histórias foi muito competente e deixa o romance muito gostoso de ler. Ela dá profundidade ao personagem e foge totalmente do estigma (vulgar e artificial) das prostitutas;

* Nada melhor para despertar o amor do que um fantasma bem intencionado, um sutiã de seda e um dedo preso na banheira...

* Esse romance faz parte de uma série:

Série Espíritos do Amor:

1. Colleen Collins - Com Toda a Alma;
2. Heather Macallister - Faça Caso ao Coração;
3. Julie Kistler - Amores de Outro Mundo.

Destaques românticos:

1.
— Belle's Room — Daphne leu a placa de metal que havia na porta do quarto do hotel — E o que é isto que está embaixo? «Nunca despreze uma boa mão.»

2.
Uma curiosa dor a invadiu por dentro ao recordar o que Andy havia dito: «Suas últimas palavras foram que a amava».
(...) Se o coração seguisse pulsando, sem dúvida, lhe teria quebrado nesse mesmo instante.


Esses dois primeiros trechos destacados se referem ao fantasma de Belle. "Nunca despreze uma boa mão" era seu lema e o segundo é uma das partes em que Andy conta o que pesquisou sobre a famosa meretriz e jogadora.

3.
(...) — Sou sua esposa? A que caminhou de Denver durante dias?
Ele abriu a boca para responder, mas se fixou na franja de encaixe negro que rodeava o sutiã de seda e na pele rosada que se via.
— Se quiser que diga coisas com sentido, vista a jaqueta.
— Assim que você partiu, começou a fazer um calor insuportável.
— Acreditava que deveria ser ao contrário.
— O que?
— Que faria um calor insuportável quando eu estou no quarto, e não o contrário.
— É um descarado.

4.
Andy olhou ao teto, onde um extremo do lençol estava atado o lustre de cristal e o outro ao grupo de luzes que havia sobre o espelho da parede.
— Penduraste um lençol para te assegurar de que permanecerei em meu lado da cama? Poderia ter esboçado uma linha com um rotulador negro e te haver economizado o esforço.
— Pensei que seria mais fácil se não nos víamos um ao outro.
Ele a olhou surpreso por seu raciocínio.
— Quando durmo, tenho os olhos fechados. Não necessito de um lençol para não ver-te — tirou o forro polar e o atirou sobre uma cadeira. Fazia muito calor, e dava a sensação de que cada vez fazia mais de todos os modos — já te disse que dormirei no sofá.

5.
Queria dizer algo, mas era como se o ar ficasse parado em seus pulmões. E se tivesse podido expressar o que sentia em seu coração, haveria dito: «Obrigado por olhar sobre o que vê o resto das pessoas».
Entretanto, levantou a mão e acariciou a cicatriz que Andy tinha no queixo, pensando em como seria compartilhar o resto da vida com ele, cuidando-o, igualmente sabia que ele cuidaria dela, nos aspectos que verdadeiramente importavam.
A saúde, o bem-estar emocional, os sonhos...
Como se tivesse lido seu pensamento, Andy se aproximou e a abraçou.
Quando finalmente recuperou a voz, Daphne sussurrou:
— Andy Branigan, é um príncipe. — Ele riu.
— Um príncipe e uma princesa - murmurou.
Agarrou-a pelos ombros e a separou para ver seu rosto. Ela se maravilhou ao ver a profundidade de seus olhos azuis, e soube que acabavam de entrar em uma nova etapa da relação, uma etapa que continha a promessa de muitas manhãs.

7.
Abriu os olhos e a olhou fixamente.
— Bela mulher, não posso ler o futuro, mas sei que prefiro estes dias contigo que uma vida inteira com outra pessoa.


É isso! Até a próxima com mais livros com coração...

Bjo! ;)

sábado, 3 de outubro de 2009

Voltei!!! Explicando o sumiço.

Para quem acompanha o blog, deve ter notado o meu sumiço. Eu estava doente... uma dessas viroses brabas. A danada me derrubou de um jeito que passei mais de 2 semanas sem vontade de fazer qualquer coisa. Então, foram dias sem me alimentar direito, sem ler meus livrinhos, sem entrar e postar no blog e sem trabalhar. Afff!!! Não desejo isso para ninguém.

Agora, já melhor, vamos retornar aos romances.

Até!

~> Dé e Alê, obrigada pelos recados e desculpem a falta de notícias, mas aí está a explicação. Bjo!