Related Posts with Thumbnails
RSS

quarta-feira, 25 de março de 2009

Becky Bloom... por uma mocinha chique de doer!


Sophie Kinsella - Os Delírios de Consumo de Becky Bloom.

Editora: Record.
Páginas: 432.

Rebecca Bloom é uma garota londrina com um péssimo hábito. É uma consumidora compulsiva.
Apesar de ser uma jornalista especializada em mercado financeiro, não consegue controlar as próprias finanças. Endividada até a alma, vive fugindo do seu gerente de banco e procurando fórmulas mirabolantes para pagar a fatura do cartão de crédito.
E ainda encontra tempo para se apaixonar.
Um romance de estréia muito divertido que faz um retrato de quase todas as mulheres que conhecemos.

Comentários:

Até poderia ser mais um besteirol americano... ou quem sabe não seria outra história de patricinhas?
Nada disso! É uma história de mulher. Uma mulher com um grande respeito pela moda. Esse respeito é tão grande que fica muito difícil pensar em coisas menores como o saldo do cartão de crédito ou como irá arrumar dinheiro para quitar as dívidas com o seu banco. Mas nada tão preocupante que consiga apagar o brilho dos cartazes de Liquidação, 50% de desconto, Leve dois pague um, Brinde na compra de..., Acumule pontos e concorra a...

Lembrando que ela é uma jornalista que escreve sobre finanças e dá dicas de como usar seu dinheiro que não consegue sair do cheque especial.
Afinal, sempre se pode apelar para C.G. e G.M.D.(Cortar Gastos e Ganhar Mais Dinheiro, respectivamente). Ou alguém pode enganar-se e pagar sua conta do cartão. Ou ainda pode ganhar na loteria. Você também pode fugir de seu gerente do banco, ficar doente, perder seu cachorro e a querida Tia Ermentrude. E, quando tudo isso falha, pode casar com um milionário (se o rosto dele parece com uma fuinha, o álcool obviamente vai ser a chave da felicidade conjugal.).

É preciso ter muita criatividade para driblar a sua péssima situação financeira e fazer compras com tanta economia (?). E Rebecca Bloom é especialista nisso. Mas não pensem que ela é apenas mais uma patricinha (pobre, devo acrescentar!). Becky é uma sonhadora extremamente otimista, é sensível, carinhosa, amiga e criativa. Uma pessoa que sempre precisa de mais alguns itens em seu vestuário. Por causa disso, passa por várias situações desastrosas e divertidas.

No fundo, ela é apenas alguém tentando encontrar seu lugar no mundo, se conhecer e lutar pelo que acredita(como qualquer um de nós). Alguém na travessia entre o mundo infantil e o adulto. Clarice Lispector disse que “perder-se também é caminho” e essa frase reflete bem esse romance. Becky precisa estar no fundo do poço para encontrar seu caminho... precisa fazer com que as pessoas a respeitem e a ouçam... precisa trabalhar em algo que desperte seu entusiasmo e paixão... precisa pagar todas suas contas... precisa amadurecer. Seu caminho é longo e cheio de desafios (e diversões para seus leitores!).

Ah... e não esqueçam de acrescentar um sedutor e expert em finanças na história. Afinal, Luke Brandon parece enxergar a verdade com seus olhares penetrantes e saber que ela é uma fraude. Ele parece ser a sua consciência, apontando seus erros e exageros. Só que muitas vezes não oferece o respeito que Becky merece... E, com certeza, deveria ter sofrido um pouco para conquistá-la.

Enfim, esse romance é ótimo. Leve, divertido e sensível. Impossível de largar antes do fim. A personagem criada por Sophie Kinsella é cativante e consegue nossa solidariedade a respeito de sua pequena devoção às compras. Leitura recomendadíssima!!!

- Partes interessantes:

* Os memorandos do banco e dos cartões para Becky;
* A compra da mala com Luke;
* A “volta por cima” de Becky.

- Trechos em destaque:

1. – Rebecca, não seja boba! – diz Luke. – Olha, sinto muito se você não sabia sobre minha namorada. – Ele levanta suas sombrancelhas num ar questionador e eu quero bater nele. – Mas ainda podemos ser amigos, não podemos?

– Não – respondo com dificuldade, ciente de que minha voz está grossa e meus olhos estão ardendo. – Não, não podemos. Amigos se tratam com respeito. Mas você não me respeita, não é, Luke? Você só me vê como uma piada. Uma ninguém. Bem... – Engulo em seco. – Bem, eu não sou.

E antes que ele consiga dizer alguma coisa mais, eu me viro, rapidamente, saio do restaurante, um pouco cega das lágrimas de decepção.

Gostei muito dessa parte, pois ela demonstra atitude. Ele sempre adota um tratamento ambíguo... mostra interesse por ela. E, bem depois, solta essa de ter namorada... Ninguém merece!!!

2. – Então, eu deixei você baratinado também? – pergunto, fazendo um ar de indiferença.
O silêncio toma conta do ambiente e, depois de algum tempo, olho para ele. Luke está com os olhos em mim, com uma expressão séria que faz meu coração começar a bater forte.
– Você tem me deixado assim já há algum tempo, Rebecca – diz ele calmo. Mantém o olhar por uns segundos enquanto eu também estou olhando fixo para ele, incapaz de respirar – depois desvia para o menu.

Hummmm! Já dava para imaginar que a tal namorada viraria ex...

- Fique por dentro das loucuras de Becky:

Série Becky Bloom:

* Os Delírios de Consumo de Becky Bloom;
* Becky Bloom: Delírios de Consumo na 5ª Avenida;
* As Listas de Casamento de Becky Bloom;
* A Irmã de Becky Bloom;
* O Chá-de-bebê de Becky Bloom.

- Esse livro virou filme.

A estréia está prevista para abril. A atriz Isla Ficher interpreta Becky Bloom e Hugh Dancy faz Luke Brandon.

Assista ao trailer aqui:

2 corações despertados:

Débora Lauton disse...

Tô doida pra ler esse livro... já está na minha listinha... seu post me deixou com ainda mais vontade...

bjs
Dé...

Esther Mara disse...

Eu confesso que não gostei do livro. Esperava que ela fosse sim, louca por roupas, sapatos, maquiagem e afins, mas fiquei revoltada quando ela compra todos aqueles utensílios domésticos e com a hostóriade ganhar dinheiro com molduras.
Sinceramente acho que ela é doente, isso sim, na verdade, de acordo com o Código Civil nacional (e sim, eu curso Direito) ela poderia ser interditada como pródiga, por ser compulsiva por compras no sentido perigoso. E também achei ela fácil demais com o Luke no final, ele merecia sofrer mais pra ganhá-la, fora que ele não é um galã assim tão bom, acho que dá pouco valos a ela.

Beijos, e amei conhecer o seu blog!

PS: Absolutamente amei a trilha sonora de Crepúsculo como tema do blog, é o meu CD favorito desde que o filme estreou!